‘It’s a fascinating time to be on the continent, and a critical time to bring change into the stories told to depict it.’ Senegalese fashion designer Selly Raby Kane clearly means business when she talks about her work as a force for change, not only in her own country but across the continent of Africa.

Since launching her label SRK in 2012, she has shot straight to the top, becoming an icon of the alternative scene in Dakar and numbering among her clients model Falviana Matata and editor Poundo Gomis. She defines SRK as ‘a future pop art brand that aims to dress young afropolitans across the continent and other citizens of the world’   

Raby Kane is well on the way to realizing that ambition. ‘In two years I see myself expanding into western and southern Africa through alternative distribution platforms.’ She is also making a name for herself beyond Africa. Items from her ‘Alien Cartoon’ collection, which turned Dakar’s old railway station into an invaded alien city, have been exhibited in Denmark and Switzerland, and at Design Indaba. Also, her last five collections have been distributed through her New York agency.

That commercial ambition is matched by an awareness of her cultural role. ‘I see myself contributing to the rebranding of Senegal and the continent by generating niche content,’ she says. How does she plan to do that? ‘Powerful synergies and collaborations can help us tell the powerful stories that are yet to be told.’ 


“Este é um momento fascinante para se estar no continente, e um momento crucial para trazer mudança para a forma como esse momento está sendo retratado.” A estilista senegalesa Selly Raby Kane está claramente falando de negócios quando fala de seu trabalho como uma força de mudança, não somente em seu país mas por toda o continente africano.

Desde que lançou sua marca SRK, em 2012, ela foi alçada a ícone da cena alternative de Dakar e passou a contar como seus clients a modelo Falviana Matata e a editora de moda Poundo Gomis. Selly define a SRK como “uma marca pop art do futuro que busca vestir jovens afropolitanos (tradução livre da expressão “afropolitans”, que se refere a jovens de cidades africanas) por todo o continente e outros cidadãos do mundo”.

Raby Kane está bem no caminho de concretizar sua ambição. “Em dois anos me vejo expandindo para ao sul e oeste da África por meio de plataformas alternativas de distribuição.” Ela também está consolidando seu nome para além da África. Itens de sua coleção “Alien Cartoon”, que tornou uma antiga estação de trem de Dakar numa cidade alienígena, foram expostas na Dinamarca e na Suíça, e também no Design Indaba. Suas últimas cinco coleções foram distribuídas por meio de uma agência baseada em Nova York.

A ambição comercial é acompanhada de um reconhecimento de seu papel cultural. “Me vejo contribuindo para o reposicionamento do Senegal e do restante do continente por meio de geração de conteúdo de nicho”, ela diz. Como ela planeja fazer isso? “Sinergias ponderosas e colaborações podem nos ajudar a contar histórias poderosas que ainda estão por ser contadas.”