“O Brasil tem passado por uma quantidade sem precedentes de eventos climáticos extremos nos últimos anos: tornados, no Sul, secas no Sudeste e chuvas torrenciais na região Norte. Isso deveria servir como um alerta para todos nós”, diz a ativista ambiental Nicole Oliveira. Como diretora da 350.org na América Latina, sua missão tem dois objetivos: despertar a consciência da população sobre as mudanças climáticas na região enquanto lidera o movimento de combate à queima de combustíveis fósseis no Brasil.

O último é especialmente desafiador em um país conhecido como o lugar mais violento do mundo para se lutar pelo meio ambiente. Nicole completa: “O desmatamento na Amazônia está atingindo um ponto sem volta. Precisamos parar de investir em empreendimentos nocivos agora mesmo e começar a investir em coisas como energias renováveis e agricultura em pequena escala. Secas, enchentes, furacões, tufões, nevascas e ondas de calor são sinais de que mais desastres estão para acontecer se nada for feito”.

Além de seu trabalho na 350.org, Nicole é coordenadora nacional do Não Fracking Brasil. Como especialista nas áreas de direito e sustentabilidade, ela também fez consultoria para diversas organizações não governamentais como a Humane​ ​Society​ ​International, Vitae​ ​Civils,​ ​Oxfam​ ​Brasil​ ​e​ Fundação Cooperlivre​ ​Arayara. Tem dois mestrados em Direito Internacional e Resolução de Conflitos na ​University​ ​for​ ​Peace, na ​Costa Rica, e na Universidade de Innsbruck, na Áustria.

‘Brazil has experienced an unprecedented variety of extreme weather events in recent years: tornadoes in the South, drought in the Southeast and torrential rains in the North. This should serve as a red alert for us all,’ says environmental activist Nicole Oliveira. As director of 350.orgin Latin America, her mission is two-fold: raise public awareness about climate change in the region, while leading the fossil-fuel divestment movement in Brazil.

The latter is especially challenging in a country that has been named the most violent place on the planet to fight for the environment. Still, Oliveira is steadfast: ‘The deforestation of the Amazon is reaching a point of no return. We have to stop investing in harmful industries right now, and start investing in things like renewable energy and small-scale agriculture. Drought, floods, typhoons, hurricanes, blizzards and heat waves are signs that more will happen if nothing is done.’

Next to her work at 350.org, Oliveira is also the national coordinator of the Coalition No Fracking Brazil. As an expert​ ​in​ the fields of ​​​law and ​international​ ​sustainability, she has also served as a consultant for other non-governmental organizations such as the Humane​ ​Society​ ​International,​ ​Vitae​ ​Civils,​ ​Oxfam​ ​Brazil​ ​and​ ​Foundation Cooperlivre​ ​Arayara.​ She​ ​has​ ​two​ ​master’s​ ​degrees​ ​in International​ ​Law​ ​and​ ​Conflict​ ​Resolution​ ​at​ ​the​ ​UN​ ​University​ ​for​ ​Peace​ ​in​ ​Costa Rica,​ ​and​ ​the​ ​University​ ​of​ ​Innsbruck​ ​in​ ​Austria.